Informativos

14 . 06 . 2019

ARTIGO AGRONEGÓCIO E GESTÃO

AGRONEGÓCIO E GESTÃO

“O PLANEJAMENTO E AS VARIÁVEIS”

 

Diversas são as variáveis dentro e fora da porteira, que determinam e direcionam o resultado efetivo da gestão da propriedade rural. Para que os gestores e produtores rurais, aliados com, experiência, informações e sabedoria, possam planejar e viabilizar de forma efetiva, na busca por rentabilidade adequada, frente aos riscos que se corre ao produzir grãos e outras atividades e fazer parte desta cadeia produtiva de alta escala econômica. É pauta de rotina, estar em sintonia com o mercado, seu indicadores, cenários e projeções, bem como as questões de políticas e legislação vigente.

 

A propriedade rural deve ser encarada como uma empresa produtora de bens e serviços. Para as propriedades rurais a Administração Rural tem como finalidade proporcionar ao produtor a possibilidade de minimizar os riscos em suas atividades através do planejamento e do controle de investimentos e de custos de produção (ANTUNES; ENGEL, 1999).

 

Sabe-se que o processo de decisão é fator delimitador do sucesso ou do fracasso de qualquer empresa constituída legalmente ou não, sendo ela do setor primário ou secundário. Assim, a empresa rural para ser competitiva precisa analisar criteriosamente suas tomadas de decisões, a fim de aperfeiçoar sua produção e maximizar sua renda (CREPALDI, 2004). Contudo, o agricultor necessita conhecer muito bem a sua propriedade, em relação aos seus pontos fortes e seus pontos fracos, para que possa realizar os investimentos corretos, investir nas atividades mais viáveis para a sua propriedade, obtendo assim muito mais chances de sustentabilidade no negócio, e assim, garantir o futuro de sua propriedade.

 

A decisão do agricultor é complexa, a infraestrutura de uma propriedade rural tem força acentuada na tomada de decisão, se não puder ser adaptada à cultura a tendência e a mudança será menor (BARROS NETO, 2001). O sucesso de uma empresa rural, de acordo com Santos, Marion e Segatti (2002), depende primeiramente de seu gerenciamento, onde é preciso ter aptidão técnica e administrativa para a aplicação racional dos recursos como: as terras, máquinas, implementos. É necessário saber utilizar os recursos naturais e humanos, infraestrutura da propriedade e assim como as informações, como conhecimento para a tomada de decisões, levando em consideração os fatores internos e externos de produção, tais como o mercado e o clima da região, podendo assim garantir o lucro da empresa e seu crescimento.

 

Conclusão: os teóricos citados no texto apontam de forma efetiva os pontos de atenção, já na prática dos negócios, que navega nas dezenas de variáveis, percebemos os desafios a serem gerenciados na rotina da gestão das propriedades rurais e de toda a cadeia produtiva. Certo é, que o melhor caminho é a harmonia das questões ambientais, sociais, econômicas e políticas.

 

REVISTA AGRORURAL

Professor Universitário, Consultor e Corretor Diogo Moreira
Professor Universitário – Ulbra Carazinho
Consultor Executivo – Agrodex Consultoria Agro Empresarial
Corretor da Moreira Imóveis Rurais – Creci 57166
Analista de Prospecção de Cenários e Palestrante do Agronegócio
Mestrando em Desenvolvimento Rural
Especialista em Inteligência Empresarial
Especialista em Gestão do Agronegócio
Especialista em Gestão Empresarial