Informativos

21 . 03 . 2022

Artigo: AGRO 4.0 e a ESTRATÉGIA SUSTENTÁVEL - Modelagem de Riscos Rurais

Artigo: AGRO 4.0 e a ESTRATÉGIA SUSTENTÁVEL

MODELAGEM DE RISCOS RURAIS

Expodireto 2022 - Diogo Moreira

 

A movimentação financeira do Agronegócio Brasileiro, este gigante imparável está na casa dos “trilhões de reais” o Valor Bruto de Produção Agropecuária (VBP) de 2021 foi de 1,13 Trilhão, 10,1% acima do valor alcançado de 2020 que foi de 1,025 trilhão segundo o Ministério da Agricultura. O que de fato necessita para elevar o Brasil para AGRO 4.0 com ESTRATÉGIA SUSTENTÁVEL?

 

São tantos os interesses nacionais e internacionais no Agronegócio Brasileiro, que por ser imparável, gera crescimentos exponenciais para uma longa e vasta cadeia produtiva. O que precisa na raiz acontecer é o ator principal “O PRODUTOR RURAL” sem tapinha nas costas ser mais VALORIZADO, pois na medida que as variáveis de risco e retorno avançam a margem que mais sofre e diminui é de fato dentro da porteira.

 

Ouve-se muitas informações que potencializam o Agronegócio por parte da própria cadeia produtiva e de geral a sociedade faz questão em boa parte de não valorizar o esforço e empenho que o setor Agropecuário desponta com garra e destaque. Mas vejamos que nas entre linhas, ao avaliarmos a Geopolítica e a prospecção de cenários, muitas vezes passam despercebidas “fusões, aquisições, negociações, tratativas” que estão levando o nosso Agronegócio Brasileiro para as mãos de estrangeiros como China e Índia, e isto de fato vai acontecendo na ponta do nariz do “antes da porteira, dentro e fora da porteira”.

 

Em questão é o Desafio de sermos um Agro 4.0 de forma sustentável, e as experiências que o mercado brasileiro vem registrando na sua história com atuais Políticas Agrícolas, sérias e com viés de Sustentabilidade (Social, ambiental e econômica), isto demanda uma energia para desburocratizar e avançar, pois temos que conviver com os que torcem contra o progresso do Agro Brasileiro.

 

A discussão atual se direciona para os mecanismos de defesa, pois o cenário internacional está turbulento e para o Brasil, em especial a região sul que enfrenta um problema de estiagem dos mais desafiadores da história. O setor está com baixo volume de CRÉDITO RURAL e necessita urgentemente de maiores volumes, as taxas de juros estão em um patamar de ritmo Selic “variável” em investimentos, ainda que custeios as taxas devem se manter fixas, mas com elevação. Outro ponto urgente é questão da irrigação, incentivos devem ser debatidos bem como a questão do licenciamento ambiental.

 

Dentre a gestão inteligente e estratégica da modelagem de riscos ruais, estamos pautando em nossa rotina e assim abrimos para debate e pesquisa os seguintes pontos: Riscos Operacionais, Riscos de Mercado, Riscos de Crédito, Riscos de Liquidez e Riscos Socioambientais. Assim finalizamos com desejo e sugestão que nesta semana de Expodireto 2022 o debate seja também centralizado em “Capital Intelectual” o qual de fato possibilita de imediato conduzir e elevar para um Agro 4.0 de forma sustentável.

 

Diogo Moreira

Mestre em Desenvolvimento Rural

Diretor Financeiro e Comercial Agrodex

Consultor Rural & Analista de Mercado

Professor Universitário

AgroCoach & Corretor de Imóveis Rurais

@agrodex

@diogomoreira.1